PF investiga desvios de recursos destinados a vítimas da estiagem no MA
08/02/2018 19:10 em Estaduais

A segunda fase da Operação Torrentes buscou o cumprimento de sete mandados de prisão preventiva e nove mandados de busca e apreensão em Pernambuco e no Maranhão

 

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (8), a segunda fase da Operação Torrentes, denominada Círculo de Fogo, que buscou apurar desvio de recursos públicos federais e corrupção envolvendo oficiais que atuavam no Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão em 2013.

A ação é um desdobramento da Operação Torrentes, deflagrada em novembro de 2017. Na ocasião, foram revelados indicativos de pagamento de propina a servidores da Secretaria da Casa Militar de Pernambuco, que teriam favorecido a contratações de uma empresa, registrada em nome de “laranjas”, para aquisição de produtos para restabelecimento das cidades da Mata Sul do Estado atingidas por chuvas torrenciais em 2010 e 2017. A estimativa é que os convênios investigados somem mais de R$ 400 milhões.

O envolvimento dos oficiais do Maranhão foi averiguado na segunda etapa da Operação Torrentes, quando foi investigado que os militares maranhenses teriam recebido, em 2013, vantagens indevidas para favorecer a contratação da mesma empresa fraudulenta, para fornecimento de cestas básicas e entrega de filtros de propileno para água em municípios do Estado atingidos por forte seca naquele ano. Os contratos investigados, cujos valores transferidos superam R$ 10 milhões, ocorreram a partir de adesão às atas de registro de preços elaboradas pela Casa Militar de Pernambuco.

Na Operação, cerca de 80 policiais federais, com o apoio de servidores da Controladoria-Geral da União, foram cumprir sete mandados de prisão preventiva e nove mandados de busca e apreensão nos estados de Pernambuco e Maranhão, todos expedidos pela 13ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco. Apenas no Maranhão, nove pessoas foram presas. Foi determinado o sequestro dos bens de todos investigados, como forma de garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos.

Sobre o caso, o Governo do Estado emitiu a seguinte nota:

Sobre a segunda fase da Operação Torrentes,deflagrada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (8), o Governo do Estado do Maranhão esclarece que os fatos aconteceram na gestão passada e não eram do conhecimento da administração atual. Todas as providências serão tomadas para responsabilização dos servidores e a devolução do dinheiro desviado. O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMM) está fornecendo todas as informações solicitadas pelos agentes federais.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!